Greve Nacional no dia 5

Paulinho

Em reunião realizada na manhã da última 6ª feira, 24, na sede nacional da Força Sindical, em São Paulo, as centrais CUT, Força, UGT, CTB,  Nova Central, CSB, Intersindical, CGTB e CSP-Conlutas convocaram, para o próximo dia 5, uma Greve Nacional contra reforma da Previdência Social e em defesa dos direitos da classe trabalhadora.

Para tanto, as centrais, em unidade de ação, já iniciaram a convocação de todas as entidades sindicais a elas filiadas (sindicatos, federações e confederações) a realizarem, neste restrito espaço de tempo que antecede a data marcada para o início da votação da reforma previdenciária, que, em princípio, está definida para o dia 6 de dezembro, uma ampla mobilização em suas bases de atuação, com debates, assembleias e atos, como processo organizativo da Greve a ser realizada contra a nefasta proposta de desmonte da Previdência, que trará, se aprovada, prejuízos incalculáveis para os trabalhadores.

Durante a reunião, os dirigentes mostraram-se animados em poder realizar, em conjunto, mais um grande evento contra as arbitrariedades que o governo quer impingir sobre a classe trabalhadora. Afinal, não podemos aceitar, impassíveis, que articulações de bastidores afetem prejudicialmente a vida de milhões de trabalhadores e suas famílias.

Unânime a opinião dos participantes da reunião de que a articulação da Greve é necessária, e que não faltará empenho para que seja um sucesso absoluto, capaz de demover o governo de suas intenções mesquinhas e que ofereça um alento àqueles que só desejam trabalhar hoje pelo País e, depois, descansar merecidamente, já aposentados, ao lado de seus familiares. Como ponto fundamental para o sucesso do evento, os dirigentes das centrais vão se reunir com o setor do transporte para poder alcançar o objetivo traçado.

Esperamos que todos os setores da sociedade encampem este movimento e fortaleçam nossa luta por um Brasil mais justo e igualitário. Vamos mostrar, em 5 de dezembro, que os trabalhadores brasileiros, unidos, sabem reescrever a sua própria história.