Paulinho da Força – Uma vida dedicada aos trabalhadores brasileiros

paulinho 12
Nascido em 1956, em Porecatu (PR), Paulinho mudou-se para Londrina e depois para São Paulo aos 20 anos. Foi na cidade grande que trabalhou em várias metalúrgicas e deu início ao seu ativismo. No Sindicato dos Metalúrgicos obteve diversas conquistas para a categoria – algumas delas estendidas a todos os trabalhadores na Constituição de 1988, como por exemplo: a licença-maternidade e a multa de 40% do FGTS, em caso de demissão sem justa causa.
Foi um dos fundadores da Força Sindical, em 1991, onde sob seu comando transformou o 1º de Maio na maior manifestação do país, reunindo todos os anos mais de 1 milhão de pessoas nas ruas.
Já consolidado como uma das principais vozes dos trabalhadores nos anos 90, contribuiu para muitas vitórias: política de reajuste anual do salário mínimo; criação da Participação dos Trabalhadores no Lucros ou Resultados das empresas (PLR); acordo com o governo para ressarcir R$ 39 bilhões aos prejudicados pelos planos Verão (1989) e Collor (1990); e a derrubada da Emenda 3, que retirava direitos do trabalhador.
Paulinho começou a militar na política, contra a ditatura, ainda nos anos 70. Iniciou a carreira político-partidária pelo Partido dos Trabalhadores (PT), em 1980, mas saiu dois anos depois. Em 2002, concorreu ao cargo de vice-presidente pela chapa comandada por Ciro Gomes. Em 2006, já no Partido Democrático Trabalhista (PDT), foi eleito deputado federal pela primeira vez com mais de 287 mil votos – o 6º mais votado no Estado de São Paulo e 12º no país.
Foi reeleito em 2010 e em 2014 pelo Solidariedade. Seu terceiro mandato foi destacado pela atuação marcante no processo de impeachment de Dilma Rousseff, em 2016. Já durante o governo Temer, notabilizou-se pela oposição às reformas trabalhistas e da Previdência, atualmente engavetadas.
Entre as principais propostas que defende estão: a manutenção da política de valorização do salário mínimo; a correção da tabela do IR; o fim do fator previdenciário; a redução da jornada de trabalho para 40 horas sem redução salarial; a política de valorização para os aposentados; a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres; a defesa do pequeno agricultor; a valorização da indústria nacional, além de juros menores e mais empregos.
Atualmente, preside o partido Solidariedade e é pré-candidato à reeleição como deputado federal.