Solidariedade institui primeira Secretaria de Liberdade da Expressão Religiosa e Filosófica do País

Secretaria-Religiosa-18-325x183

Em evento realizado no Leques Brasil Hotel Escola, na Liberdade, em São Paulo, na manhã de segunda-feira (19/6), o partido Solidariedade instituiu a Secretaria de Liberdade da Expressão Religiosa e Filosófica. Essa é a única pasta organizada por legenda política a tratar do tema no Brasil.

“Não é nossa função nessa secretaria evangelizar ou catequizar os integrantes”, explicou um dos idealizadores da pasta e curioso em filosofia, Moisés Lima, que continuou: “Nossa missão é diante de assuntos políticos dar nota com a concordância da transcendência do homem e da grandeza de Deus”.

O secretário de Liberdade da Expressão Religiosa e Filosófica, Moisés Silva, afirmou que após anos na política e na religião e ao ler notícias diárias de intolerância quase que diariamente, sentiu necessidade em fazer algo: “Sou Brasileiro, não desisto nunca. Venho de uma cidade de apenas cinco mil habitantes, onde não tínhamos política, mas tínhamos um padre que nos ajudou a montar a estrutura em busca do bem comum”.

Estiveram presentes nesse primeiro encontro representantes das igrejas Católica Apostólica Romana e Ortodoxa, de religiões afro como Umbanda e Candomblé e protestantes. Todos concluíram que apesar dos dogmas diferenciados de cada denominação, o amor e a dignidade humana os une em um só propósito. Diante disso, estabeleceram a Missão, Visão e os Valores da secretaria.

Missão: ouvir os setores e lideranças religiosas e filosóficas; reconhecer as diferenças religiosas e filosóficas; dar voz e conhecer os projetos para então, politizar seus fiéis verdadeiramente.

Visão: ouvir o setor, conciliá-lo e politizar.

Valores: Solidariedade, comunhão interativa sócio-política e dignidade e proteção à vida humana.

“Queremos ouvir as igrejas, politizar os fiéis, para não deixarmos nas mãos dos corruptos, nem deixarmos que sejam corrompidos, propagando base de amor e de dignidade”, filosofou outro idealizador da proposta, Alexandro Santos de Souza.

Lideranças do Solidariedade e da Fundação 1º de Maio – entidade de formação política ligada ao partido – falaram sobre a importância de uma secretaria que trate do respeito religioso.

“Vivemos em um estado laico e ter uma secretaria que promova essa liberdade é fundamental”, comentou o presidente estadual do Solidariedade-SP, David Martins, que também falou sobre o real objetivo das pastas do partido: “Nós estamos organizando nossas secretarias de movimentos sociais não apenas para falar e fazer política. Nós queremos cuidar das pessoas”.

O diretor técnico da Fundação 1º de Maio, Diógenes Sandin, explanou sobre a busca dos partidos em tratar do tema: “Existe um esforço mundial muito grande em integrar a religiosidade com a política. Agora, nós vamos ter essa oportunidade através da nova pasta”.

O assessor da Secretaria Geral Nacional do Solidariedade, Paulo Pequeno, explicou a estrutura das secretarias temáticas do partido e disse: “Essa secretaria de Liberdade da Expressão Religiosa e Filosófica foi criada a partir de nosso DNA, porque somos de um partido, que desde sua criação, olha para os movimentos sociais”

O Solidariedade tem estruturado suas secretarias para que as demandas venham de baixo para cima, ou seja, dos reais interessados dentro da comunidade, passando através de coordenadores e diretores regionais e estaduais aos nossos secretários nacionais. A partir daí é realizado um filtro do que vai virar propostas e ações de nossos parlamentares.

“Nós acreditamos que o partido não tem que se apresentar apenas a cada dois anos em época de campanha eleitoral”, explicou Luiz Antônio Adriano da Silva, secretário-executivo da Secretaria Geral. Ele também falou que as “secretarias vêm para cumprir esse papel, participando ativamente na resolução de problemas que a população vive em cada região”.

A advogada Denise Neri resumiu o encontro em sua fala: “Fazer o bem sem olhar a quem. Sabemos que independente da religião ou filosofia, o que realmente importa é ter caráter e fazer o bem”.