Geração de empregos será tema principal nas festividades do 1º de Maio

Paulinho FS

O 1º de Maio está chegando e não são muitos os motivos para comemorar. O Brasil amarga, hoje, um total de 13 milhões de desempregados, enquanto a informalidade já supera o contingente de brasileiros com carteira assinada. Se levarmos em conta que cada trabalhador sustenta, em média, mais três ou quatro pessoas, a situação é caótica em todo o território nacional.

Por este motivo, a Força Sindical, que organiza a maior festa do trabalhador em todo o mundo, discute também no 1º de Maio a urgente necessidade da geração de empregos, um caminho para a retomada da economia.

“Precisamos, de uma vez por todas, afastar esse mal que penaliza os trabalhadores e toda a sociedade”, afirma o deputado federal Paulinho da Força, presidente do Solidariedade e da Força Sindical.

O deputado cita ainda a necessidade de união e empenho de toda a nação para que esse quadro se reverta: “Precisamos do apoio dos trabalhadores, da sociedade organizada, de todas as esferas de governo, além de muita vontade política, para que medidas efetivas sejam colocadas em prática”.

Fonte: Central da Pauta