Contra a reforma da Previdência e a favor dos trabalhadores

Paulinho Reforma

O site Atlas Político divulgou, no domingo (17), os nomes dos parlamentares que são contra ou a favor da reforma da Previdência, apresentada pelo governo federal. O monitoramento, realizado na Câmara de Deputados, aponta que 93 parlamentares são favoráveis ao projeto do executivo, enquanto 139 são contra, 221 ainda não definiram o voto e 60 apoiam parcialmente.

Para ser aprovado, o projeto de reforma do governo necessita de 308 votos a favor. No entanto, ainda há muita divergência com o texto.

Estou entre os deputados federais que não concordam com o texto da Previdência. Para mim, é evidente, que o governo quer punir os trabalhadores com retirada de direitos.

Dentre os pontos da reforma que mais prejudicam os brasileiros são a idade mínima, 65 anos homens e 62 anos mulheres; o tempo de transição; a retirada do FGTS para quem está aposentado e que continua trabalhando; a obrigatoriedade do pedágio para quem falta pouco para se aposentar; as perdas de direitos na aposentadoria rural e o aumento na idade mínima das professoras.

Diante de tudo isso, não podemos ficar parados esperando que o governo acabe com anos de luta e conquistas.

Metodologia do monitoramento – Os 513 deputados federais foram contatados pelo Atlas Político por e-mail, telefone e presencialmente. Os que não responderam foram classificados como indefinidos, exceto nas seguintes hipóteses:

De acordo com o site, deputados de bancadas partidárias com posicionamentos públicos unânimes foram classificados com o consenso do partido até este momento. Já os parlamentares que se manifestaram publicamente em relação a reforma no noticiário ou nas redes sociais foram definidos com este posicionamento.